Etiquetas

, , , , , ,

Já vi quem percebesse que está sonhando. Logo no começo do sonho, ainda variando entre estados de sonolência e de lucidez, ou quando acorda, relata que está sonhando e volta a dormir, sem interrupção do sonho. É incomum, mas não impossível.

O que é muito mais raro, se possível, alguém perceber que está dormindo. Afinal, se por um breve momento, talvez no começo do sono, percebe-se que está dormindo, não está, então, acordado? Ou então, não se trata de um sonho, ao invés da perspectiva real de que está dormindo?

No entanto, será mesmo impossível? Onde dizer quando realidade e fantasia se misturam, quando oceanos se dividem, quando conceitos se diferem? Ou melhor, não apenas perceber, mas estar no presente momento desta mutação. É muito interessante ter a oportunidade de presenciar tais acontecimentos. Faz-nos pensar melhor na riqueza dos acontecimentos. Ao menos, faz-me. Nesse momento é como estar em contato com a mágica da mudança. Nunca estive nos lugares em que as águas dos ocenos, Índico, Atlântico e Pacífico se encontram, dois deles, porém há relatos sobre o ambiente muito agradável que os cerca.

Talvez seja como um portal, um portal à reflexão. E ter a oportunidade de encontrálos, vários e várias vezes, será um ótima chance para mudar. Não só pela reflexão e contato com conceitos imaterias, como também, pela chance de conhecer o mundo em busca destas reflexões.

Mesmo assim ainda não cheguei a uma conclusão. Será possível perceber que se está dormindo, quando se dorme? Não sei uma resposta para isso. Não sei de nenhum estudo. E minha pergunta continua.

Até mais,

Búfalo