Etiquetas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Uma pesquisa de cientistas suíços revelou algo curioso sobre nosso comportamento. E até bom: mesmo aos que não acreditam, ainda conservamos parte de nossa infância.

Diversas fotos de candidatos à eleições francesas foram expostas à suíços (por nunca terem visto os políticos), que tinham de escolher os candidatos que julgavam “melhor”. Em 70% dos casos os candidatos melhor avaliados tinham sido eleitos. Posteriormente foram mostradas à crianças as mesmas fotos e elas escolherem os vencedores em 71% dos casos.

Isto sugere que mesmo escolhas deste tipo, quando não conhecemos pessoalmente os indivíduos,temos mecanismo semelhante ao de uma criança ao julgar faces de pessoas. Ainda temos um mecanismo primitivo de fazer escolhas.

Isto revela importantes dados de nosso comportamento: candidatos sempre se apresentam com uma foto em panfletos e saem à ruas para cumprimentar pessoas, alterando esta situação. Julgando elas pela face no panfleto (em fotos arrumadas) e nas ruas procurando a confiança dos eleitores. Além disso já imaginou por que talvez vários sites de relacionamento do tipo “faça uma amizade nova”, “conheça seu amor” não façam muito sucesso até hoje? As escolhas podem muitas vezes serem erradas pelo mesmo mecanismo prmitivo com que se escolhem os candidatos.

E a atitude de julgar as pessoas, politicamente incorreta? De também olhar beleza? Faz parte de nós mesmos. Uma atitude tão natural e evolutiva como os mais simples atos. Não há porque ser visto de maneira tão errada. – é o instinto presente em todos. Ligado, também, à escolhas de reprodução e sexo. Afinal os padrões de beleza da sociedade estão relacionados ao julgamento físico com a capacidade de uma prole saudável.

Claro, faltou um importante fato: mesmo adulto, o ser humano conserva muito de seu comportamento da infância. Este foi mais um revelado.

Até mais,

Búfalo