Etiquetas

, , , , , , , , , , , ,

Sexo. Necessário? Digo por vontade própria, não por fazer ou não consciente. Afinal, ser celibatário a vida inteira apesar de estar louco para fazer outras coisas não pode ser visto como exemplo de que não é necessário.

Acredito que depende. Sempre tem um chato que não dá uma resposta direta. Deixa-me explicar. Sexo é necessário, muito inclusive, mas não sempre necessário. Falar que sexo só é preciso quando existe amor, não é lá bem correto. E que sexo é preciso seja por qual desculpa, também. Muitas mulheres dizem isto e muitas delas mesmo tem desejo físico independente de qualquer relação que exista. Para não ser má considerada, por preconceito feminino e masculino não é comum esta discussão. Mesmo entre homens: deve-se afirmá-lo sempre. Como búfalo posso afirmar que eles não são muito diferentes. Aqui é a mesma coisa.

Sexo é vida. Natureza. Realizá-lo nos coloca em sintonia com a própria mãe natureza. É uma definição muito boa, fazemos parte da mesma vida, do mesmo mundo.

Querendo ou não, desculpa, sei que pode ser duro descobrir, mas, sim, você é um animal. Não, não, não estou falando do teu amigo do lado. Você mesmo. E como todos os animais, eles precisam propagar a espécie. Eles têm alguns instintos. Eles precisam realizar todo o processo da vida até a morte – e a reprodução está no meio. Qual o propósito da Evolução das Espécies? Sobreviver.

Nossa diferença genética para macacos é de menos de 3%. Curioso como esses 3% rendem. Tudo que queremos ser diferentes é culpa dos 3%. Será mesmo? Todo animal sente desejos físico pelos outros da espécie. Não há mal nenhum em fazê-lo porque é bom. E só.

Será que é errado fazer por fazer? Por que seria? Qualquer texto sábio fala que amor e sexo elevam o homem. Que enobrece. Privar-nos dele vai contra tudo que lemos. Quem leu o Código da Vinci vê que na seita havia o ritual do sexo. Puro e simples. Pode não parecer a melhor leitura, mas textos mais confiáveis dizem o mesmo, até alguns religiosos.

Somos seres racionais ( embora, por vezes,duvide). Não nos rendemos apenas aos instintos, por isso temos outras vontades. Por exemplo, não precisamos fazer sempre. Existem sim épocas em que o ser humano está mais reflexivo e precisa de um tempo mais parado, noutras totalmente oposto. Quantas vezes você quis um tempo só para você? Assim, podemos passar um tempo – que varia de pessoa para pessoa – sem precisar, nos atendo ao nosso próprio desenvolvimento, seja aproveitando a vida, viajando, ou no seu espaço, pensando. Não é sinal de não ser homem ou mulher.

Pensando bem, é estranho como o sexo se desenvolve em nós. Mesmo à nossa volta: ora mal falado, ora o néctar dos deuses. O melhor mesmo é seguir o que tem vontade. Sem preconceitos. Sexo por sexo ou vida sem sexo. A escoha é nossa.

Um pouco complicado tratar de maneira tão geral.

Até mais,

Búfalo